Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, a Fundadora Taís Gasparian participou do Painel “O Jornalismo como Bem Público”, realizado pelo curso de Jornalismo da FAAP e pelo grupo de pesquisa Jornalismo, Direito e Liberdade (JDL), ligado à Escola de Comunicações e Artes (ECA) e ao Instituto de Pesquisas Avançadas (IEA) da Universidade de São Paulo (USP).

Programa
Abertura:
Guilherme Canela
Chefe da área de Liberdade de Expressão e Segurança de Jornalistas da Unesco
O Jornalismo como Bem Público:

  • Combate à desinformação
  • Sustentabilidade do Jornalismo
  • Alfabetização digital

Painel:

  • A censura na ditadura e em tempos democráticos
  • O caldo cultural que sustenta a restrição à liberdade de expressão
  • O mito da divisão entre censura moral e censura política
  • Os tentáculos da censura, da judicialização à violência física
  • Os riscos da autocensura e a tentação de calar em tempos de polarização

Laura Mattos, jornalista e mestre pela USP, é autora de Herói Mutilado — Roque Santeiro e os Bastidores da Censura à TV na Ditadura (Companhia das Letras) e integrante do grupo de pesquisa Jornalismo, Direito e Liberdade/JDL. Na Folha de S. Paulo, foi repórter da Ilustrada, editora da Folhinha, de Turismo, tecnologia e gastronomia, e atualmente é colunista de educação.

  • As ameaças à liberdade de imprensa no Judiciário
  • A longa coexistência da Lei de Imprensa com a Constituição Federal de 1988;
  • A ainda mais longa coexistência da Lei Segurança Nacional com a Constituição Federal de 1988;
  • As ameaças atuais: remoção de conteúdo, censura judicial, retratação, assédio, ações indenizatórias.

Taís Gasparian, sócia do escritório Rodrigues Barbosa, Mac Dowell de Figueiredo, Gasparian — Advogados em São Paulo. Graduada em Direito e mestre em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP. Possui grande experiência em assuntos relativos à liberdade de expressão, com foco no contencioso cível e em assuntos ligados à mídia tradicional e digital. Colaboradora da Universidade de Columbia/NY no Global Freedom of Expression Website. Em 2020, foi visiting scholar na Yale Law School.

  • Desafios concretos a partir do reconhecimento da informação como bem público
  • O significado de tomar a informação como bem público;
  • Caracterização do cenário atual do ambiente informacional global;
  • Impactos sobre o funcionamento da esfera pública e a democracia;
  • Caminhos para superação dos obstáculos de acesso à informação confiável, plural e diversa.


João Brant, doutor em Ciência Política pela USP, com mestrado em Regulação e Políticas de Comunicação pela London School of Economics. Foi secretário-executivo do Ministério da Cultura (2015–16). É pesquisador e consultor em políticas de cultura, comunicação e internet, já tendo prestado consultorias à Unesco, à Fundação Ford, à Global Partners, à OBSERVACOM, entre outras instituições.

Coordenação e mediação:
Edilamar Galvão
, coordenadora do curso de Jornalismo da FAAP, é mestre e doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com pós-doutorado no programa Direitos, Humanidades e outras Legitimidades, do Núcleo Diversitas do Departamento de História da FFLCH/USP. É integrante do grupo de pesquisa JDL, Jornalismo Direito e Liberdade, ligado à ECA e ao IEA-USP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *