Nada a festejar no Dia Nacional da Liberdade de Imprensa
Leia a nota do TORNAVOZ sobre os últimos ataques sofridos pela imprensa no país

O TORNAVOZ manifesta profundo inconformismo e preocupação com os ataques sofridos pelo repórter Lucas Neiva, do Congresso em Foco, e sua editora, Vanessa Lippelté, e com o desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira. Acontecimentos como esses demonstram as reiteradas intimidações empregadas contra jornalistas e meios de comunicação no Brasil.

É por isso que, em pleno Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, 7 de junho, em vez de celebrar, o TORNAVOZ reitera o imprescindível papel da informação e da imprensa na Democracia. Para o TORNAVOZ, qualquer tipo de violência e ameaça contra jornalistas e meios de comunicação devem ser absolutamente reprovadas tanto pela sociedade, quanto por seus representantes. Se já é reprovável que pequenos jornais, blogueiros, influenciadores e cidadãos comuns sejam arrastados para complexas ações judiciais por exercerem sua liberdade de expressão e imprensa, impedi-los do exercício de seu ofício é absolutamente inaceitável.

O TORNAVOZ se solidariza com esses profissionais, suas famílias e com os demais comunicadores e jornalistas do país.

Nada a festejar no Dia Nacional da Liberdade de Imprensa
Leia a nota do TORNAVOZ sobre os últimos ataques sofridos pela imprensa no país
voltar

O TORNAVOZ manifesta profundo inconformismo e preocupação com os ataques sofridos pelo repórter Lucas Neiva, do Congresso em Foco, e sua editora, Vanessa Lippelté, e com o desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira. Acontecimentos como esses demonstram as reiteradas intimidações empregadas contra jornalistas e meios de comunicação no Brasil.

É por isso que, em pleno Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, 7 de junho, em vez de celebrar, o TORNAVOZ reitera o imprescindível papel da informação e da imprensa na Democracia. Para o TORNAVOZ, qualquer tipo de violência e ameaça contra jornalistas e meios de comunicação devem ser absolutamente reprovadas tanto pela sociedade, quanto por seus representantes. Se já é reprovável que pequenos jornais, blogueiros, influenciadores e cidadãos comuns sejam arrastados para complexas ações judiciais por exercerem sua liberdade de expressão e imprensa, impedi-los do exercício de seu ofício é absolutamente inaceitável.

O TORNAVOZ se solidariza com esses profissionais, suas famílias e com os demais comunicadores e jornalistas do país.